Porque muitos brasileiros perdem vagas de estudo em Portugal?

Porque muitos brasileiros perdem vagas de estudo em Portugal?

Porque muitos brasileiros perdem vagas de estudo em Portugal?

Estudar em Portugal sem tornou uma opção muito procurada pelos brasileiros. A proximidade da língua e o reconhecimento dos cursos a nível mundial, são as principais justificativas.

 

Entretanto, o que, muitas vezes, não é levado em consideração, são os processos. São diversos documentos solicitados pelas instituições portuguesas, muitos deles com obrigatoriedade de fazer o Apostilamento de Haia. Há prazos que precisam ser cumpridos, taxas e muitos mais.

 

Além disso, mesmo que a língua seja bastante parecida, há diversas expressões com sentidos completamente diferentes, e que são ditas pelos portugueses e não compreendidas pelos brasileiros, ou vice-versa.

 

E, considerando as consequências dessas dificuldades, a EduPortugal busca auxiliar os brasileiros interessados em estudar em Portugal, com o apoio e todas as instruções necessárias em todo o processo.
 

 
Independentemente do curso, grau ou instituição de ensino, todas as fases do processo são de grande importância e eliminatórias. Podemos usar como exemplo, um dado colhido recentemente.

 

Para estudar Doutorado em uma instituição localizada na região norte de Portugal, em um curso na área de Gestão e Economia, havia 20 candidatos brasileiros. Destes, 11 foram reprovados, devido à documentação, incorreta ou incompleta. Sendo que o candidato que ficou em 1º lugar, foi instruído pela EduPortugal.

 

Portanto, é importante estar atento a cada fase do processo, a todas as solicitações da instituição e entender todos os termos usados. Um documento que é apostilado de forma desnecessária ou incorreta gera custo a mais ao candidato. Ou ainda, documentos incorretos ou enviados fora do prazo, podem gerar a desclassificação.

 

Se está com dúvidas ou tem interesse em estudar em Portugal, entre em contato com nossa equipe e evite transtornos ao dar um grande passo em sua carreira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *