Enfermagem de Saúde Mental e Psiquiatria

Download da Brochura

COMEÇO:
09/2019
INSTITUIÇÃO DE ENSINO:
Coimbra | ESenfC
ID:
CE
CREDITOS:
90

Instituições de Ensino:

Endereço

Avenida Bissaya Barreto Apartado 7001, 3046-851 Coimbra   Ver mapa

Apresentação do Curso

A saúde mental e os problemas com ela relacionados são uma das áreas mais sensíveis de saúde das populações. De facto, é sabido que os problemas relacionados com a saúde mental constituem13% da carga global das doenças (OMS, 2001) e que 5 em cada 10 das causas que levam à inaptidão são problemas de saúde mental (OMS, 2003). Tendo em conta que a dimensão dos problemas relativos à saúde mental das populações tem um enorme impacto no sofrimento individual, nos fenómenos de exclusão social e nos custos diretos ou indiretos causados pelas doenças mentais (OMS, 2003), a necessidade de formação especializada, em enfermagem, nesta área está amplamente reconhecida, seja por organismos da União Europeia (2004), seja por organismos internacionais, como a OMS, que em 2003 propôs um currículo para a formação especializada em enfermagem de saúde mental, após a formação geral qualificada.
A definição de um perfil de competências do enfermeiro especialista em Enfermagem de Saúde Mental e Psiquiátrica é já uma realidade em muitos países. Em Portugal, a Ordem dos Enfermeiros realizou um trabalho que validou um perfil de competências do enfermeiro de cuidados gerais. Ao mesmo tempo, realizaram-se alguns estudos e debates acerca das competências específicas dos enfermeiros de saúde mental e psiquiátrica, o que permite construir um referencial teórico orientador para esta definição.
Neste contexto, para o perfil do especialista, graduado ao nível de Pós-Licenciatura de Especialização, adotaremos uma definição que inclui o conjunto das capacidades, habilidades, destrezas, conhecimentos gerais e especializados, domínio do conjunto das técnicas e dos procedimentos no âmbito da enfermagem especializada, avaliados em situação de teste ou no desempenho das atividades que caracterizam o exercício profissional.
A definição de um perfil de competências do enfermeiro especialista em Enfermagem de Saúde mental e Psiquiatria é já uma realidade em muitos países. Em Portugal, a ordem dos Enfermeiros realizou um trabalho que validou um perfil de competências do enfermeiro de cuidados gerais. Ao mesmo tempo, realizam-se alguns estudos e debates acerca das competências especificas dos enfermeiros de saúde mental e psiquiatria, o que permite construir um referencial teórico orientador para esta definição.

 

Objetivos

No final do curso, os estudantes devem ser capazes de:

  • Valorizar a saúde mental no desenvolvimento integral do ser humano;
  • Compreender a pessoa numa perspetiva contextual, tendo em conta a transculturalidade e a diversidade;
  • Identificar os problemas de saúde mental no indivíduo, família, grupos e comunidade, em cada fase do ciclo de vida;
  • Planear, numa perspetiva transcultural, as interações de enfermagem adequadas para resolver e/ou minimizar os problemas de saúde mental e as perturbações mentais;
  • Prestar cuidados especializados de enfermagem baseados na evidência;
  • Planear, de forma negociada, cuidados especializados em enfermagem;
  • Avaliar os cuidados de enfermagem prestados e estabelecer o feedback;
  • Participar com outros profissionais de saúde nacionais e internacionais nas políticas de organização dos cuidados de saúde mental e na conceção, execução e avaliação de projetos de saúde que visem o bem-estar e a qualidade de vida relacionada com a saúde das populações;
  • Participar na gestão de cuidados e recursos em saúde;
  • Contribuir para o desenvolvimento da enfermagem em geral e da enfermagem da saúde mental e psiquiátrica em particular, nomeadamente através da prática de investigação, do ensino e da formação.

 

Saídas Profissionais

Os enfermeiros especialistas em saúde mental e psiquiatria para além das competências de enfermagem de cuidados gerais, podem desempenhar um papel como especialista para trabalhar, no hospital e na comunidade, com os indivíduos e as suas famílias que experimentam ou são afetados por doença mental” (OMS, 2003).

A empregabilidade medida aos 6 meses após o curso é de 100% em média.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *