Como é o ensino superior português?

Como é o ensino superior português?

O ensino superior em Portugal organiza-se por um sistema binário composto pelo ensino universitário e o ensino politécnico. A diferença entre ambos os sistemas tem a ver com os objetivos: o ensino universitário tende a objetivar mais para a investigação e a criação do conhecimento científico e cultural; por outro lado, o ensino politécnico é centrado na investigação aplicada e criação do saber com uma aplicação mais profissional, ou seja, mais prática.

Dentro deste sistema encontramos o ensino público e o ensino privado. Como o próprio nome indica, o ensino público é coparticipado pelo Estado, e todos os alunos têm acesso ao mesmo, mediante o pagamento de prestações. Isso mesmo, em Portugal, o ensino público não é totalmente gratuito, mas sim coparticipado pelo Estado e seus estudantes portugueses. Já para os estudantes internacionais, como é o caso dos brasileiros, não há coparticipação. Logo, o valor da anualidade do curso é similar ao de uma instituição privada portuguesa, uma vez que estas não recebem coparticipação do Estado de nenhuma forma.

Saiba como são chamados e como funcionam os ciclos do ensino superior em Portugal

bigstock Close up of beautiful graduate 200803702 eduportugal

Existem três ciclos de ensino superior:

  1. Licenciatura: no Brasil conhecido como Graduação. O grau de licenciado é atribuído no término de todas as unidades curriculares que integram o plano acadêmico. Cada estabelecimento poderá aprovar a estrutura curricular e o plano de estudos. No ensino privado, cada instituição poderá fixar o montante das prestações. Com o acordo de Bolonha, a licenciatura passou a ter a duração de 3 anos;
  2. Mestrado: é o segundo ciclo do plano curricular académico. O mestrado integra uma parte de especialização/teórica e uma parte prática que diz respeito a uma dissertação de natureza científica, um trabalho de projeto ou um relatório de estágio profissional. Este material é apresentado e defendido a um júri competente de Professores e Especialistas da área. Os valores mantêm o critério referente à licenciatura. Após a sua conclusão adquire-se o grau de mestre.
    • Mestrado Integrado: o mestrado integrado faz parte de uma estrutura académica que integra licenciatura e mestrado, compreendido entre 5 a 6 anos. O grau de mestre é conferido quando terminadas todas as unidades curriculares do plano de estudos, no qual também está e o segundo pela criação da dissertação, trabalho de projeto ou relatório de estágio. Tal como na licenciatura, os valores estipulados no setor privado e público prendem-se com as mesmas condicionantes, acima referidas.
    • Pós-Graduação: é um curso para quem quer desenvolver as suas capacidades numa determinada área científica. Não confere nenhum grau acadêmico, mas, lhe dá a oportunidade de ficar com um diploma de como cursou e se especializou naquela área. Importante: somente pessoas com graduação ou o equivalente legal podem realizar uma pós-graduação. O tempo é menor do que o mestrado, geralmente, de um ano.
  3. Doutoramento: é o grau mais alto da vida acadêmica, dando a possibilidade de se doutorar numa determinada área científica específica. Para isso, é necessário criar uma tese original adequada à natureza do ramo científico que se quer especializar ou, então à compilação de trabalhos de investigação, acompanhados de uma fundamentação escrita. Normalmente, este ciclo tem a duração de 3 a 4 anos. No caso do doutoramento, cabe às instituições de ensino superior, definir qual o valor das prestações a pagar.

Para ajudar, em ambos os casos, as Instituições de Ensino Superior Portuguesas dispõem de um Gabinete de Apoio ao Estudante que, em conjunto com o aluno, verificam a melhor situação para ele no pagamento das prestações, podendo até criar modelos de pagamento.

bigstock 167665271 1 eduportugal

Informações retiradas do site DGES.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.