Transdisciplinar de Sexologia

Download da Brochura

COMEÇO:
09/2019
INSTITUIÇÃO DE ENSINO:
Lusófona | Lisboa
ID:
ME
CREDITOS:
120

Instituições de Ensino:

Endereço

Campo Grande 376, 1749-024 Lisboa   Ver mapa

Categorias

Mestrado

Apresentação do Curso

Universidade Lusófona foi pioneira em Portugal no desenvolvimento de programas de formação sexológica para profissionais de saúde e outros licenciados, criando em 1998 o Mestrado de Sexologia e, em 2003, o Curso de Especialização Pós-graduada em Medicina Sexual, ligados ao Departamento de Psicologia e ao Departamento de Ciências da Saúde. Em 2008 foi achado útil reunir as várias áreas de formação num único ciclo de estudos transdisciplinar.
O curso de mestrado Transdisciplinar em Sexologia é um ciclo de estudos conducente ao grau de Mestre em Sexologia, com a duração de quatro semestres curriculares, em que os dois primeiros constituem um tronco comum, denominado Curso de Mestrado, e em que os dois últimos diferem consoante a Área de Especialização.

 

Objetivos

O curso de mestrado Transdisciplinar em Sexologia pretende desenvolver um programa de formação sexológica para profissionais de saúde e outros licenciados, desenvolvendo ações de estudo e investigação no domínio da saúde sexual, tanto na sua vertente clínica – psicológica e médica – como educativa e sociocultural. Para tanto fornece um curriculum de conteúdos teóricos que, de uma perspetiva transdisciplinar, possa:
– Dar uma visão ampla da diversidade e complexidade da sexualidade humana;
– Compreender os mecanismos neurobiológicos que explicam a função e a disfunção sexual;
– Reconhecer as implicações psicológicas da sexualidade humana, de um ponto de vista holístico e integrador;
– Utilizar os recursos e metodologias de investigação a utilizar no estudo avançado da sexualidade humana;
– Participar e intervir em organizações onde se encontrem equipas pluridisciplinares na abordagem da sexualidade e dos seus problemas.

 

Saídas Profissionais

A necessidade de entender os comportamentos e os problemas da sexualidade têm vindo a criar cada vez maior número de centros de investigação. Mas as saídas profissionais passam também pela promoção da saúde sexual (em especial nos grupos de risco e terceira idade), pela prevenção (educação sexual, planeamento familiar) e pelo tratamento (clínicas, hospitais, centros de saúde, etc.).