Estatística para a Saúde

Download da Brochura

COMEÇO:
09/2019
INSTITUIÇÃO DE ENSINO:
FCT NOVA
ID:
ME
CREDITOS:
120

Instituições de Ensino:

Endereço

Quinta da Torre, Campus Universitário, 2829-516 Caparica   Ver mapa

Categorias

Mestrado

Objetivos

O Mestrado em Estatística para a Saúde tem como objectivo formar pessoas com conhecimentos e competências teóricas fundamentais em estatística e com as competências práticas necessárias para aplicar corretamente os métodos estatísticos mais usualmente empregues na área das ciências da saúde, na investigação médica e na epidemiologia.
Pretende-se dotar os alunos com conhecimentos estatísticos que permitam resolver adequadamente problemas da área da saúde, nomeadamente na seleção do desenho de estudo mais adequado para responder a uma determinada questão de investigação e nas técnicas estatísticas mais apropriadas à análise de diferentes tipos de dados; na descrição das hipóteses e pressupostos associados a cada tipo de metodologia estatística; na correta aplicação e interpretação dos resultados das análises estatísticas, compreendendo até que ponto as mesmas permitem responder/clarificar as questões de investigação; na gestão e analise de bases de dados complexas e de grande dimensão, nomeadamente no que diz respeito à limpeza dos dados, codificação e armazenamento; na avaliação crítica da utilização da estatística na literatura científica da área das ciências da saúde.

Saídas Profissionais

Tratando-se de um 2.º ciclo, oferecido em regime pós-laboral, muitos dos graduados deste ciclo de estudos estarão já empregados, permitindo este curso a reorientação profissional numa área considerada das mais atraentes do mercado de trabalho atual. Os graduados deste curso poderão vir a exercer a sua atividade como bioestatísticos, analistas de dados em qualquer instituição de cuidados de saúde, epidemiologistas, investigadores e docentes em bioestatística e epidemiologia. Adicionalmente, e porque o programa de curso é consonante com outros oferecidos no espaço europeu, os graduados poderão também concorrer a postos de trabalho no mercado internacional, por exemplo, em organizações não governamentais, agências internacionais e instituições de ensino.