Enfermagem Médico-Cirúrgica

Download da Brochura

COMEÇO:
09/2019
INSTITUIÇÃO DE ENSINO:
Coimbra | ESenfC
ID:
ME
CREDITOS:
120

Instituições de Ensino:

Endereço

Avenida Bissaya Barreto, Apartado 7001, 3046-851 Coimbra   Ver mapa

Categorias

Mestrado

Apresentação do Curso

O ciclo de estudos conducentes ao grau de Mestre em Enfermagem Médico-Cirúrgica, criado pelo Despacho nº 3034/2018, de 23 de março, integra:
a)um curso de especialização em Enfermagem Médico-Cirúrgica, constituído por um conjunto organizado de unidades curriculares, que corresponde a 75% (90 ECTS) do total dos créditos do ciclo de estudos;
b)uma dissertação de natureza científica (original e especialmente realizada para este fim) ou trabalho de projeto ou estágio com relatório, que corresponde a 25% (30 ECTS) do total dos créditos do ciclo de estudos. O grau de mestre é conferido aos estudantes que tenham obtido aprovação no Curso de Especialização e no ato público de defesa do relatório científico apresentado (dissertação, trabalho de projeto e estágio com relatório).

 

Objetivos

No final da formação e de acordo com o previsto pela OE (2009) relativamente às competências gerais do enfermeiro especialista e ao Regulamento 124/2011, relativamente às competências específicas do enfermeiro especialista em pessoa em situação crítica, os enfermeiros devem ser capazes de:

  • Desenvolver uma prática profissional e ética no seu campo de intervenção;
  • Promover práticas de cuidados que respeitam os direitos humanos e as responsabilidades profissionais;
  • desempenhar um papel dinamizador no desenvolvimento e suporte das iniciativas e estratégias institucionais na área da governação clínica;
  • Conceber, gerir e colaborar em programas de melhoria contínua da qualidade;
  • Criar e manter um ambiente terapêutico e seguro;
  • Gerir os cuidados, otimizando a resposta da equipa de enfermagem e seus colaboradores e a articulação na equipa multiprofissional;
  • Adaptar e liderar a gestão de recursos às situações e ao contexto, visando a máxima qualidade nos cuidados;
  • Desenvolver o autoconhecimento e a assertividade;
  • Basear a sua práxis clínica especializada em sólidos, válidos e atuais padrões de conhecimento;
  • Cuidar da pessoa a vivenciar processos complexos de doença crítica e ou falência orgânica;
  • Dinamizar a resposta a situações de catástrofe ou emergência multivítimas, da conceção à ação;
  • Maximizar a intervenção na prevenção e controlo da infeção perante a pessoa em situação crítica e ou falência orgânica, face à complexidade da situação e à necessidade de respostas em tempo útil e adequadas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *