Bolsas de Estudos para Brasileiros. Como conseguir a sua?

Bolsas de Estudos para Brasileiros. Como conseguir a sua?

Bolsas de Estudos para Brasileiros. Como conseguir a sua?

O que muitos estudantes têm interesse ao vir para Portugal, é como conseguir Bolsas de Estudos. Mas quais são as oferecidas em Portugal e como consegui-las?

 

Tipos de Bolsas de Estudos

Em Portugal, você pode encontrar bolsas de estudos que são oferecidas pelas próprias universidades ou politécnicos e ainda as bolsas oferecidas pela DGES – Direção-Geral do Ensino Superior.

Se você tem interesse em conseguir uma bolsa de estudos oferecida por uma universidades ou politécnico do seu interesse, o primeiro passo é ver se há bolsas para estudantes internacionais e quais os tipos. Isso você consegue ver diretamente no site de cada instituição ou até mesmo dentro da página da instituição parceira da EduPortugal.

 

Bolsas oferecidas por Universidades ou Politécnicos

  • Bolsa de Mérito: esta tipo de bolsa pode conceder um desconto que varia de 50% a 100% do valor da propina. Estão ligadas diretamente às notas de ingresso, no caso das bolsas oferecidas já para o 1º ano letivo, ou notas acima da média no 1º ano letivo que concede a bolsa a partir de 2º ano. Geralmente as bolsas do 1º ano são vinculadas às notas do ENEM acima de 700 pontos, de acordo com as notas exigidas no curso de interesse. Para assegurar a manutenção da bolsa nos anos seguintes, deverá garantir as notas acima da média.
  • Bolsa da CPLP (Comunidade dos Países da Língua Portuguesa): geralmente estas bolsas são oferecidas automaticamente para os estudantes brasileiros nas universidades ou politécnicos que as oferecem. Ao ser aprovado no processo de seriação, a bolsa é automaticamente atribuída e é válida durante todo o curso. Este tipo de bolsa geralmente concede descontos de 30% a 60%, dependendo das regras da instituição.

As bolsas acima não são cumulativas! 

 

Se você não atende aos requisitos de notas acima, não é motivo de perder as esperanças! Veja a próxima opção.

 

Bolsas de Estudos da DGES

Essas bolsas de estudos são disponibilizadas pela DGES – Direção-Geral do Ensino Superior de Portugal, e são destinadas aos estudantes de nacionalidade portuguesa ou qualquer outro país da União Europeia com direito de residência permanente em Portugal, ou ainda, cidadãos nacionais de países terceiros titulares de autorização de residência permanente. Ou seja, o estudante brasileiros com o título de residência válido também pode solicitar!

 

Destina-se, ainda, ao estudante em que, ao agregado familiar em que pertence, não disponha de um nível mínimo adequado de recursos financeiros. Todavia, a bolsa de estudos é atribuída para um ano letivo completo.

 

Entretanto, existem ainda algumas regras a serem seguidas. Uma delas, é necessário estar inscrito num mínimo de 30 ECTS, salvo as exceções previstas no Regulamento. Para que tenha uma noção do que isso significa, 1 ano letivo normal em Portugal compreende 60 ECTS.

 

As bolsas podem ser atribuídas a estudantes de Cursos Técnicos Superiores Profissionais, cursos de Licenciatura, de Mestrado Integrado e cursos de Mestrado.

 

Os prazos para solicitar a bolsa de estudos da DGES são:

  • Entre 25 de junho e 30 de setembro;
  • Nos 20 dias úteis subsequentes à inscrição, quando esta ocorre após 30 de setembro;
  • Nos 20 dias úteis subsequentes à emissão de comprovativo de início de estágio por parte da entidade que o faculta, no caso de licenciados ou mestres que estejam fazendo o estágio profissional.

 

Contudo, se acabar por perder esses prazos, o estudante poderá apresentar a candidatura entre 1 de outubro e 31 de maio. No entanto, nesse caso, o valor da bolsa de estudo será proporcional ao valor calculado para um ano.

 

De acordo com o despacho de 30 de abril de 2020, excepcionalmente para o ano letivo de 2020-2021, esse prazo foi estendido até ao dia 24 de junho.

 

Veja a documentação necessária. Lembrando, que estes documentos solicitados, precisam ser do estudante e de sua família.

 

  • Cartão de Cidadão ou, em alternativa: Cartão de contribuinte para dispor do número de contribuinte (NIF) Ou, cartão de beneficiário da Segurança Social.
  • Declaração do IRS do ano civil anterior ao início do ano letivo a que se refere a candidatura a bolsa (caso tenha entregue declaração).
  • Declaração do Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) ou a caderneta predial do imóvel utilizado como habitação própria e permanente do agregado familiar (caso o agregado possua HPP);
  • Saldo das contas bancárias, à ordem e a prazo, com a situação referente a 31 de dezembro do ano civil anterior ao início do ano letivo a que se refere a candidatura a bolsa e valor dos restantes bens móveis;
  • Comprovativo do IBAN (Número Internacional de Conta Bancária) com identificação do titular da conta para a qual pretende receber a bolsa de estudo.

 

As candidaturas são feitas exclusivamente online, através da página da DGES.

 

Todas as informações estão no Regulamento de Atribuição de Bolsas de Estudo a Estudantes do Ensino Superior. Mas, se ainda está com dúvidas, fale com nossa equipe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *